Gestão de Pessoas

O que é e como criar um plano de carreira

14 min de leitura | 28 de julho 2021

Todo empresário sabe que um negócio de sucesso precisa contar com o trabalho de grandes profissionais do mercado. Quanto mais oportunidades existem, no entanto, mais a empresa precisa se esforçar para chamar a atenção desses talentos e retê-los. 

Como uma das grandes preocupações de um profissional é evoluir em sua carreira, oferecer um plano de crescimento interno é uma estratégia que não pode faltar no programa de fidelização de funcionários. Para entender melhor o assunto e conferir dicas de como criar um plano de carreira, continue na leitura do texto.

 

O que é um plano de carreira

Um plano de carreira é um programa estruturado que delineia o caminho que cada profissional poderá percorrer dentro da organização. Ele é uma estratégia extremamente positiva tanto para a empresa, que consegue deixar claro o que espera do desenvolvimento do funcionário, quanto para o profissional, que consegue visualizar as competências que precisa atingir para alcançar novos postos hierárquicos e, também, entende a importância de sua posição atual.

Como o programa deve ser baseado nas possibilidades que existem dentro da empresa, ele deve ser formulado de acordo com a estrutura da sua organização. Existem, no entanto, alguns modelos que podem se aplicar a cada caso.

 

Plano de carreira em horizontal

Esse tipo de plano de carreira costuma gerar dúvidas e, por vezes, nem ser visto como tal, já que não está relacionado a uma ascensão de nível hierárquico. Ele, no entanto, não deixa de ser uma possibilidade de programa no caso de empresas que não possuem divisões hierárquicas.

Neste caso, como todos os cargos pertencem ao mesmo nível, a evolução está ligada ao desempenho e significa um aumento das responsabilidades e, consequentemente, da faixa salarial. 

 

Plano de carreira em Y

Este plano tem o seu formato inspirado na letra Y, que sugere que em algum momento do desenvolvimento o funcionário vai se deparar com uma bifurcação e, então, decidir qual das possibilidades de carreira ele pretende seguir.

Em geral, essas possibilidades são de se desenvolver enquanto gestor ou enquanto especialista. O primeiro caso costuma ser mais conhecido e, até mesmo, reconhecido, já que muitos profissionais desejam alcançar cargos de liderança. Os cargos de especialista, no entanto, são tão importantes quanto, principalmente em áreas de trabalho que necessitam de funcionários com alto nível técnico, como a tecnologia e a engenharia. 

Cabe à empresa montar times diversificados, com profissionais que tenham ambições nessas diferentes áreas para garantir a evolução do negócio de maneira equilibrada e sustentável, afinal de contas, uma organização definitivamente não se sustenta apenas com líderes. 

Nestes casos, é importante também deixar claro o quanto os dois tipos de evolução são igualmente importantes, para que profissionais que não buscam os cargos de gestão não se sintam menos valorizados e, com isso, menos estimulados a crescer e permanecer na empresa. 

 

Plano de carreira em W

O programa em W sugere, além das possibilidades do plano de carreira em Y, o caminho do meio, que é o de gestão de projetos. Este tipo de cargo é um híbrido entre se tornar líder e se tornar especialista, já que gerir um projeto é, de certa forma, entendê-lo muito bem tecnicamente e saber acompanhar o desempenho dos profissionais envolvidos nele e oferecer feedbacks quando necessário.

Não é um modelo tão difundido quanto o Y por não se adequar a qualquer tipo de empresa, mas faz muito sentido para empresas de áreas como a tecnológica, que costumam se dividir em projetos para trabalhar em diferentes frentes. 

 

Plano de carreira em rede

A estrutura do plano de carreira em rede também é bastante semelhante ao programa em Y, já que existem bifurcações, mas ele é mais adequado a empresas em que as possibilidades vão além de gestor e especialista e, portanto, o funcionário tem mais opções para as quais se dirigir. 

Neste caso, quando as possibilidades são amplas, se torna ainda mais importante que o caminho e as competências esperadas sejam muito claros para os funcionários e que eles entendam exatamente as metas que precisam atingir para alcançar o cargo que desejam.

 

Plano de carreira para empresas em rápido crescimento

Os quatro programas listados até então funcionam para diversos tipos de empresa… desde que elas já estejam consolidadas e consigam ter mais definidas as possibilidades de futuro dos funcionários.

No caso de empresas mais recentes e que estão em fase de expansão, o rápido crescimento do negócio impacta em necessidades diretamente relacionadas ao quadro de funcionários, como o aumento de pessoal e a reestruturação constante de áreas. 

Nestes cenários de maior incerteza, faz mais sentido acompanhar de perto cada funcionário para ouvir sobre suas expectativas e, até mesmo, junto com ele, criar possibilidades, do que criar programas estruturados que podem não fazer nenhum sentido em pouquíssimo tempo.

Nestes caso, no entanto, para fidelizar os profissionais e reter talentos a empresa precisa lançar mão de muito mais diálogo e acompanhamento e jogar limpo com os funcionários, deixando claras as oportunidades de crescimento e apresentando as possibilidades que existem hoje e as que estão sendo preparadas para o futuro de curto e médio prazo.

Para todos os casos da lista, no entanto, é importante salientar que todo negócio é um organismo vivo e em constante processo de mutação. Algumas organizações, é claro, têm mais chance de ser impactadas por transformações do que outras, mas todas estão sujeitas ao efeito do tempo e das novidades do mercado e, portanto, por mais sólida que pareça uma estrutura, vale ter em mente que elas podem precisar de alterações. 

Tanto os funcionários quanto os gestores precisam entender que podem contar com as metas e degraus estipulados hoje, mas que isso não quer dizer que eles sejam eternos e imutáveis.

 

Como criar um plano de carreira

O primeiro passo para criar um plano de carreira para sua empresa é entender muito bem sobre seu funcionamento e escolher o programa adequado. Os listados no texto são bem abrangentes e, portanto, um excelente ponto de partida, mas sempre é possível pesquisar mais sobre o assunto para entender a opção que mais se encaixa às necessidades da sua organização.

Definido qual vai ser o esquema do programa da sua empresa, é preciso ter em mente que para fazer sentido ele precisa ser pensado tanto de acordo com as necessidades da organização quanto de acordo com as intenções dos funcionários, afinal de contas, ele tem esses dois importantes papéis a cumprir.

Com isso estabelecido, é hora de colocar a mão na massa e, para isso, você pode seguir os seguintes passos:

  • Estruture

Delineie todos os cargos existentes na empresa, as funções e responsabilidades de cada um e as competências que precisam ser atingidas para que os funcionários os alcancem. Com tudo isso definido, fica muito mais natural estruturar o caminho que precisa ser percorrido, passo a passo, para se chegar a cada nível hierárquico.

  • Defina metas

Ao formular a maneira com a qual esse plano de carreira será apresentado aos profissionais, deixe bastante claras as metas que precisam ser atingidas e cada passo e, também, mostre o quanto a organização está empenhada em ajudá-lo, capacitá-lo e indicar como eles devem cumprí-las – contando, é claro, com uma boa dose de pró-atividade e esforço pessoal.

  • Estabeleça prazos

Cada funcionário tem seu tempo e seu ritmo de trabalho e desenvolvimento, é claro, mas para que as expectativas da empresa e do profissional estejam alinhadas, é importante que o plano de carreira apresente prazos para o alcance dos novos cargos. Dessa maneira, os líderes têm uma noção maior de quanto avanço esperar do funcionário em determinado período de tempo enquanto ele também tem ideia de quando poderá ser promovido caso esteja evoluindo dentro do esperado.

  • Capacite e engaje os líderes

Em uma empresa já bastante ramificada, é comum que existam diversos departamentos e, com isso, líderes. É preciso que a liderança geral da empresa esteja próxima desses gestores departamentais, já que eles é que acompanharão de perto o crescimento de seus funcionários.

Deve ser cobrado de um líder que ele ofereça apoio e entenda seus colaboradores, fazendo acompanhamentos constantes, dando feedbacks construtivos e entendendo, também, o que pode estar impedindo um funcionário de se desenvolver dentro do esperado.

O líder do departamento também deve identificar o que cada profissional de seu time espera da empresa e de seu avanço de cargos, para que todos estejam com as expectativas alinhadas. 

  • Foque em desenvolver as características positivas e superar as negativas

Um plano de carreira nunca deve focar nas falhas de um colaborador e, sim, em suas aptidões. Incentivar um funcionário a desenvolver seus pontos fortes, trabalhando cada vez mais suas principais habilidades é uma forma de estimulação que faz muito mais sentido.

Em paralelo a isso, é claro, é preciso que o líder identifique as fraquezas tanto da equipe como as individuais e atue de forma com que elas sejam superadas e minimizadas.

  • Promova avaliações regulares

Um plano de carreira não é um documento que deve ser criado só para constar e ser guardado em uma gaveta: ele deve ser um instrumento de trabalho e, portanto, analisado constantemente.

O ideal é que os líderes façam acompanhamentos regulares com os funcionários, de preferência com uma frequência pré-estabelecida para que eles sempre saibam quando esperar uma nova avaliação. Essa estratégia também condiz com a número 3 desta lista, de definição de prazos para o alcance de metas, e é interessante que elas conversem entre si. 

  • Reveja o planejamento constantemente

Como já dissemos no texto, se a empresa é um organismo vivo que passa por constantes mudanças, cada funcionário também pode viver isso em âmbito pessoal. Pode ser que no decorrer de sua jornada na empresa, um colaborador desenvolva novas aptidões e deseje mudar o rumo de sua carreira. 

Por isso, é necessário rever o planejamento constantemente e fazer eventuais mudanças de acordo com as novas necessidades, tanto da organização quanto do colaborador.

Ao montar e começar a aplicar um plano de carreira bem estruturado, é possível enxergar muito rapidamente os benefícios que ele traz para a empresa. Um funcionário que consegue visualizar suas oportunidades de crescimento é um profissional mais produtivo e motivado. Ao se sentir visto pela organização, ele consegue entender melhor a importância do seu trabalho. Ao perceber o apoio que tem por parte da empresa, ele tem mais vontade de fazê-la crescer e alcançar mais sucesso. 

Agora que você já entendeu a importância de oferecer um plano de carreira, sabe como elaborá-lo e quais benefícios ele traz, que tal conhecer o melhor software que reúne a parte de gestão de equipes, gestão de projetos e o financeiro da sua organização?

Com o Flowup todas as áreas da sua empresa ficam organizadas em um mesmo lugar, o que evita custos e economiza tempo. Utilizando o software, você controla as tarefas, as equipes, a produtividade e o financeiro de forma integrada e totalmente online. Que tal testar gratuitamente por 15 dias?

Teste grátis