Gestão de Pessoas

Como trabalhar os 4 pilares da inteligência emocional da cultura organizacional

12 min de leitura | 07 de outubro 2021

A capacidade de compreender e trabalhar com outras pessoas diferencia os melhores líderes e leva ao sucesso. É aí que entram os pilares da inteligência emocional. Líderes que acreditam que podem ter sucesso confiando apenas em seu intelecto e anos de experiência estão perdendo uma grande oportunidade.

Cada um dos 4 pilares da inteligência emocional pode ser desenvolvido e aprimorado. Investir o que é necessário para aumentar cada uma dessas áreas pode ter um impacto profundo e duradouro no sucesso de sua liderança.

 

O que é inteligência emocional

A inteligência emocional (também conhecida como IE) é um conjunto de habilidades emocionais e sociais que estabelecem coletivamente o quão bem nos percebemos e nos expressamos, desenvolvemos e mantemos relações sociais, lidamos com desafios e usamos informações emocionais de uma forma eficaz e significativa.

Para que os líderes atraiam e retenham funcionários “experientes em IE”, eles precisam se envolver e explorar a IE por si próprios. Ao fazerem isso, eles irão adquirir uma ferramenta de avaliação de um indivíduo em áreas como responsabilidade social, autoexpressão, empatia e tomada de decisão para recrutar, induzir e desenvolver a força de trabalho dos elementos de sua equipe.

Em última análise, isso permitirá que os funcionários de uma organização atendam e superem os desafios enfrentados em um cenário econômico e industrial em constante mudança.

 

Construindo seus pilares da inteligência emocional

Construir suas habilidades emocionais é essencial para compreender seus próprios sentimentos e entrar em sintonia com os sentimentos dos outros. 

Se você está sintonizado com esses sentimentos, pode usar sua compreensão para melhorar seu próprio desempenho e gerenciar e apoiar o desempenho de outras pessoas (se estiver em uma função gerencial ou de supervisão).

Para entender melhor suas habilidades emocionais, o primeiro passo é familiarizar-se com os quatro pilares da inteligência emocional.

 

1. Autoconhecimento

O autoconhecimento tem tudo a ver com saber como tomar decisões certas, independentemente de como nos sentimos. 

Todos nós sabemos como pode ser fácil perder a compostura e não se comportar de maneira racional e adequada quando somos dominados por emoções negativas.

Pense em uma ocasião em que você passou por isso. Foi fácil pensar ou tomar uma decisão lógica com clareza? Provavelmente não. Quando ficamos excessivamente ansiosos, por exemplo, nossa capacidade de julgar nossas situações e as dos outros de forma clara e objetiva fica prejudicada.

Quando nos vemos de forma mais objetiva, nos tornamos pessoas muito mais eficazes em nossos ambientes. Podemos nos comunicar melhor e tomar melhores decisões, bem como cultivar relacionamentos mais fortes e saudáveis. Ao mesmo tempo, temos muito menos probabilidade de trapacear, mentir ou roubar. 

Também nos tornamos melhores trabalhadores, quer sejamos funcionários ou proprietários de empresas.

 

Atenção plena

Atenção plena é a prática de concentrar sua atenção conscientemente no momento atual e sem julgamento. O cultivo da atenção plena tem origem no budismo. No entanto, algum tipo de oração ou técnica de meditação relacionada é usada na maioria das religiões e, até mesmo, sem qualquer cunho religioso. 

A atenção plena ajuda a mudar sua preocupação com o pensamento em direção a uma consciência do momento, de nossas experiências físicas e emocionais, e traz à vida um ponto de vista mais amplo. A plena atenção nos acalma e nos concentra no processo, tornando-nos mais autoconscientes.

Quando somos capazes de permanecer presentes durante estados emocionais intensificados, nós e aqueles ao nosso redor podemos depender de nós mesmos para nos mantermos firmes. 

Nesse estado, podemos regular emoções e comportamentos impulsivos, controlar nossas emoções de maneira saudável, agir, cumprir compromissos e nos adaptar a condições instáveis sem nos perder momentaneamente.

 

2. Lide com suas emoções

Nossas primeiras experiências de vida são um grande fator na determinação de nossa experiência de vida atual. 

A qualidade e a consistência das emoções nessas experiências iniciais de vida muitas vezes dependem de nossa capacidade de lidar com sentimentos como raiva, tristeza, medo e alegria.

Se nosso cuidador principal quando criança estiver ciente disso, teremos uma chance muito maior de nos tornarmos emocionalmente inteligentes. 

Isso acontece porque eles nos fornecerão o espaço certo para crescer. Por outro lado, se nossas experiências emocionais de infância foram confusas, ameaçadoras ou dolorosas, podemos tentar nos distanciar de nossos sentimentos.

  • Quando sua vida muda de um momento para outro, você experimenta sentimentos que fluem, encontrando uma emoção após a outra?
  • Seus sentimentos são seguidos por sensações físicas que você experimenta em áreas do corpo como estômago, garganta ou peito?
  • Você lê sentimentos e emoções individuais, cada um visível em expressões faciais sutis, como raiva, tristeza, medo e alegria?
  • Você experimenta emoções fortes e poderosas o suficiente para chamar sua atenção e também a de outras pessoas?
  • Você está prestando atenção às emoções? Você as leva em consideração ao tomar uma decisão?

Se alguma ou todas essas coisas não forem familiares para você, talvez seja uma boa ideia se reconectar aos seus sentimentos centrais. Abrace-os e sinta-se confortável com eles para desenvolver IE e encontrar maior equilíbrio emocional.

 

3. Empatia

A empatia nos ajuda a perceber e interpretar os sinais principalmente não-verbais que outras pessoas estão usando ativamente para se conectar conosco. 

Esses sinais nos ajudam a entender como as pessoas realmente se sentem, como seu estado emocional muda de momento a momento e o que realmente importa para elas.

Somos capazes de interpretar e compreender a dinâmica de poder e experiências emocionais mútuas quando grupos de indivíduos enviam sinais não-verbais semelhantes.

 

Atenção plena na empatia

A atenção plena também é um elemento da empatia.

Devemos compreender a importância da atenção plena no processo social para criar empatia. Quando estamos em nossa própria mente, nos preocupando com as coisas, ou até mesmo com os olhos fixados no celular, não podemos captar sinais não-verbais sutis de outras pessoas. O momento precisa de nossa presença. 

Embora todos nós possamos ter orgulho de nossa capacidade multitarefa, também estamos perdendo as trocas sutis que ocorrem em nossas interações diárias com outras pessoas que nos ajudam a nos conectar e compreender uns aos outros.

  • Colocando outros pensamentos de lado e se concentrando na própria interação, é mais provável que você promova seus objetivos sociais.
  • Seguir o fluxo das respostas emocionais de outra pessoa é uma abordagem de dar e receber que também permite que você preste atenção às mudanças em sua própria experiência emocional.
  • Prestar atenção aos outros não enfraquece a sua própria autoconsciência. Ao dedicar tempo e esforço aos outros, você também obterá insights sobre seu próprio estado emocional, bem como sobre seus valores e princípios. Para começar, você terá aprendido algo importante sobre si mesmo se sentir desconforto ao ouvir outras pessoas expressarem algumas opiniões.

4. Sociabilidade

Trabalhar bem com os outros é um processo que começa com a maturidade social e a capacidade de considerar e compreender o que os outros estão sentindo. Aprendemos habilidades sociais/emocionais adicionais quando a consciência emocional está em jogo. Isso tornará nossos relacionamentos mais produtivos, frutíferos e gratificantes.

 

Comunicação não-verbal

Devemos nos conscientizar de como usamos a comunicação não-verbal. 

É difícil resistir a enviar sinais não-verbais sobre o que você está pensando e sentindo para os outros. 

Os muitos músculos do rosto, especialmente aqueles ao redor dos olhos, nariz, boca e testa, nos ajudam a expressar nossas próprias emoções sem palavras, bem como a ler a intenção emocional de outras pessoas. 

Isso desempenha um grande papel no aprimoramento de seus relacionamentos, reconhecendo as mensagens não-verbais que você envia a outras pessoas.

 

Gerenciamento de estresse

Para aliviar a tensão, rir e brincar são úteis. Eles são antídotos naturais contra o estresse, reduzem nosso fardo e nos ajudam a manter a perspectiva. 

O riso equilibra nosso sistema nervoso, reduzindo o estresse, acalmando-nos, aguçando nossa mente e tornando-nos mais compassivos.

 

Confronto

Aprenda a ver o confronto como uma chance de se aproximar dos outros. Nas relações humanas, conflitos e desentendimentos são inevitáveis. Duas pessoas em todos os momentos podem não ter as mesmas necessidades, opiniões e expectativas. Isso não precisa ser uma coisa ruim, no entanto. 

A resolução de conflitos de maneiras saudáveis e construtivas pode reforçar a confiança entre as pessoas. Ela promove a liberdade, a criatividade e a segurança nos relacionamentos quando o conflito não é visto como uma ameaça ou punição.

 

Dicas importantes para melhorar sua inteligência emocional

Depois de se familiarizar com os quatro pilares da inteligência emocional, há muitas ações que você pode realizar para desenvolver seus conjuntos de habilidades sociais e emocionais. Confira algumas dicas:

  • Realize uma avaliação de inteligência emocional e uma sessão de feedback individual para obter uma visão real do seu perfil de IE.
  • Aprenda o que são os gatilhos e como eles podem afetar suas emoções.
  • Peça feedback construtivo de outras pessoas para permitir o crescimento em conhecimento e competência.
  • Ouça ativamente os outros, recuando para observar de maneira objetiva.
  • Pratique respiração profunda e outros exercícios relaxantes para manter a mente limpa.
  • Promova e construa relacionamentos, reconhecendo as necessidades e sentimentos dos outros.

Construa seu conhecimento e use-o

Como você escolhe pensar, sentir e agir em relação aos desafios da vida, muitas vezes afetará sua saúde e bem-estar, bem como sua mentalidade. Utilizando sua inteligência emocional, você pode aprender com as situações difíceis e se preparar melhor para os desafios futuros.

Não se trata simplesmente de qual conhecimento você adquire sobre inteligência emocional. A grande diferença está no que você escolhe fazer com esse conhecimento!

Gostou de conhecer sobre os pilares da inteligência emocional? Veja aqui também técnicas para falar em público