Gestão de Tempo

6 razões para não ser multitasking

12 min de leitura | 23 de maio 2022

Ter a capacidade de fazer muitas coisas ao mesmo tempo parece maravilhoso: nada como terminar de preencher um relatório e enviar dois e-mails enquanto se está numa reunião, não é mesmo? Bom, na verdade não. 

Embora muitos acreditem que a habilidade de ser multitarefa aumenta a produtividade, é exatamente o contrário: trabalhar em várias demandas diferentes ao mesmo tempo é uma grande cilada porque isso significa não prestar atenção real em nenhuma delas.

Enquanto coachings de produtividade pregam ardentemente que desenvolver o multitasking é essencial para aumentar seus resultados, são diversos estudos que comprovam exatamente o contrário: além de diminuir o desempenho, a busca por ser multitarefas está relacionada, também, com problemas críticos de saúde mental. Neste post, explicamos as principais razões. Siga na leitura!

 

1. Seu cérebro não consegue dar conta de tudo

Você pode até achar que está conseguindo dar o melhor de você em cada uma das tarefas que realiza ao mesmo tempo, mas isso é impossível. Escrever um relatório sobre um projeto enquanto participa de uma reunião sobre outro vai te confundir e, muito provavelmente, você não vai guardar metade das informações que foram passadas na reunião. 

Essa dificuldade de se concentrar em apenas uma coisa pode te trazer tanto prejuízos profissionais quanto nas relações interpessoais, porque uma hora essa falha de atenção cobra a sua conta: você começa a perder informações importantes, não conseguir entregar bons resultados e falhar na sua conexão com as pessoas. 

Quem nunca quis rodar um feed do instagram enquanto o amigo conta uma história longa? Mas como é que se conecta verdadeiramente com uma pessoa assim, sem sequer oferecer sua atenção integral a ela por alguns minutos?

 

2. O multitasking atrapalha a sua memória

Essa razão está diretamente relacionada com a anterior: pular de uma tarefa para a outra constantemente atrapalha sua capacidade de concentração em cada uma delas e, consequentemente, a memória.

Como guardar uma informação que você mal absorveu direito porque estava dividindo o foco com muitas outras coisas? Um estudo realizado em 2011 pela Universidade da Califórnia, em San Francisco, mostrou o quanto a memória de curto prazo é prejudicada pelo multitasking – e com o avançar da idade, o problema fica cada vez mais intenso.

 

3. Mais tarefas… mais erros!

Uma famosa citação de Steve Uzzell no livro A única coisa diz que o multitasking é a oportunidade de estragar mais coisas de uma vez só. É claro que todo mundo está, sempre, suscetível a cometer erros – mas a diminuição do foco direcionado às tarefas, potencializada pelo multitasking, também aumenta a possibilidade de erros. Como diz a razão número um, o cérebro não dá conta de tudo, ele começa a falhar.

 

4. O multitasking faz você perder tempo

Quem busca ser multitarefa está, em grande parte das vezes, querendo economizar tempo – e essa “fórmula” parece muito lógica: trabalhar em duas atividades simultaneamente te faz acreditar que você está levando, para fazer mais coisas, o mesmo tempo que levaria para fazer uma só, mas isso não é verdade.

Realizar uma só tarefa com todo o foco direcionado a ela leva muito menos tempo do que, distraidamente, acreditar que se está fazendo várias coisas. A falta de concentração faz com que se demore muito mais tempo para concluir cada demanda, e, por isso, é errôneo associar o multitasking a uma economia de tempo – é exatamente o contrário.

 

5. A morte da criatividade

Uma pessoa precisa estar com a mente leve para conseguir criar e ter boas ideias, e, portanto, um cérebro esgotado pelo multitasking prejudica diretamente essa habilidade. Estar ocupado com diversas demandas ao mesmo tempo ainda te deixa mais estressado e angustiado do que focar em uma só (mesmo que você não perceba), o que também manda sinais ao cérebro de que ele não deve se preocupar com coisas como criação, e sim focar toda a sua energia na sobrevivência. 

Ou seja: se você quer ter boas ideias e se destacar pela criatividade e pela proposição de novas soluções… fuja do multitasking com todas as suas forças e ajude o seu cérebro a trabalhar com mais leveza e direcionamento.

 

6. O multitasking causa ansiedade

É fato reconhecido que uma das maiores causas de ansiedade é a dificuldade em focar no momento presente e dedicar sua atenção plena ao que quer que esteja acontecendo agora – e realizar muitas tarefas ao mesmo tempo é um retrato extremamente prático deste problema.

Quem precisa ficar constantemente dividindo a atenção entre diversas demandas tem muito mais chance de desenvolver transtornos de ansiedade, já que o foco no presente se torna uma tarefa praticamente impossível. Como você vai se concentrar em um texto se está constantemente abrindo a caixa de e-mails com o intuito de responder imediatamente a qualquer outra demanda que chegue? 

O ansioso está sempre pensando em diversas coisas ao mesmo tempo, e um dia a dia multitarefas só faz uma pessoa mergulhar cada vez mais nesse ciclo, aumentando muito o problema. Sendo assim, se dedicar a apenas uma coisa por vez, além de fazer muito mais pela sua produtividade do que você imagina, é essencial para a construção da sua saúde mental. 

 

Como evitar o multitasking?

Agora que você já entendeu, por meio dessas 6 razões, porque é que ser multitarefas não é uma ideia tão boa assim, é a hora de anotar dicas de como se livrar desse hábito.

 

1. Planejamento é tudo

Quando sua agenda não está bem definida, é muito comum que diversas demandas urgentes se concentrem em uma mesma semana ou dia e é preciso evitar chegar a essa situação, que acaba estimulando o multitasking.

Para isso, faça o possível para se planejar com antecedência e organize suas semanas ou dias em blocos de tempo que você pode reservar para olhar com atenção para cada uma das tarefas. 

É importante se atentar, aqui, que mesmo as tarefas mais rápidas devem estar contempladas na organização, porque elas acabam sendo uma armadilha. Se você não reservou um momento para cuidar da sua caixa de e-mail e responder tudo o que for preciso, muito provavelmente ficará preocupado com isso enquanto deveria estar focado em outra demanda – e vai acabar interrompendo qualquer outra coisa para dar conta disso, só porque não foi previsto na agenda.

Deixar tudo bem planejado e estabelecido ajuda muito, também, a reduzir a ansiedade: sempre que você estiver realizando uma tarefa e pensar na outra, lembre-se de que o tempo para ela também já foi previsto e que ela será cumprida, mas para isso você precisa respirar fundo e focar na que já está em andamento.

E sim: esse momento que você vai levar para se organizar vai tomar um certo tempo da sua rotina, mas acredite, esse tempo será devolvido pela produtividade que ele te ajudará a ter.

 

2. Separe períodos para o que costuma te distrair

Ah, o celular, as notícias, os feeds das redes sociais… eles são grandes ralos de tempo. Em alguns smartphones é possível analisar o tempo gasto em cada atividade e não é nada incomum que as pessoas levem sustos ao descobrir que ficam por muito mais tempo com os olhos presos a essa pequena tela.

Se propor a nem sequer olhar o celular durante o dia, por outro lado, também pode te deixar com aquela ansiedade de que você está perdendo alguma coisa. É por isso que é importante, também, separar momentos para se dar ao luxo dessas pequenas distrações – desde que sejam muito bem cronometrados, é claro.

Métodos de produtividade como o Pomodoro, por exemplo, levam essa prática em consideração: neste caso, a proposta é tirar 5 minutos de distração após cada 25 minutos de trabalho focado. 

Essa prática pode ser bem positiva porque, da mesma forma que no tópico anterior, se quando você está realizando uma tarefa começar a pensar sobre o que está acontecendo no telefone, sabe que existe um tempo destinado a conferí-lo e, então, fica mais fácil retornar a mente para onde ela deveria estar concentrada.

 

3. Alterne tarefas complexas com demandas simples

Intercalar tarefas de diferentes complexidades é muito importante para evitar o desgaste do cérebro. O ideal é, sempre, começar o dia com a tarefa mais difícil: assim você já tira esse problema da sua frente e consegue oferecer a ela seu máximo de concentração e energia.

Depois dela, no entanto, é hora de pegar uma demanda mais simples para refrescar o cérebro e, depois, então, voltar para outra de maior complexidade. Essa alternância é bastante positiva para aliviar a sua rotina e minimizar o cansaço mental e o estresse.

 

4. Aprenda a delegar e a dizer não

“O problema de ser pau para toda obra é que sempre aparece uma obra”. Essa frase foi muito compartilhada no Twitter recentemente e, mesmo que dita em tom de piada, faz muito sentido. Quando você se coloca sempre à disposição das demandas alheias, elas vão continuar chegando. 

Portanto, é preciso encontrar um equilíbrio entre ser proativo e disponível mas entender, também, que existem limitações de energia e tempo para realizar atividades. Aprender a dizer não e a delegar tarefas para outras pessoas é essencial para evitar o desgaste, já que assim evitamos assumir responsabilidades além das que conseguimos fazer dentro de um planejamento – o que, por sua vez, evita o ímpeto de sair fazendo muita coisa ao mesmo tempo porque senão será impossível concluir tudo o que se propôs a entregar.

 

5. Descansar é fundamental

Por último mas não menos importante, lembre-se sempre de que você não é uma máquina. Todos precisamos de descanso para renovar nossas energias e conseguir se dedicar novamente às demandas no dia seguinte. Portanto, para o bem da sua saúde mental, da sua produtividade e de seus resultados no trabalho, leve o descanso a sério.

Trabalhar rotineiramente por mais horas do que o recomendado te deixam mais agitado, fazem parecer que nunca vai existir tempo o suficiente e acaba, também, sendo um convite ao hábito vicioso do multitasking. Evite ao máximo!

Se você chegou até o fim deste texto é porque se interessa por assuntos relacionados a organização, trabalho, produtividade e muito mais! Por isso, te convidamos a continuar acompanhando o blog da Flowup, porque aqui trazemos muito conteúdo de qualidade sobre esses e muitos outros assuntos. Boa leitura!